quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Vazio que há em nós

vazio em nos

Eu só quero dizer o quanto amei
O quanto chorei
Só queria soltar esse grito preso dento de mim
Eu só queria deixar essa lágrima rolar da minha face, sem ter vergonha de nada
Eu queria dizer a todos o quanto amo, e nunca fui amada por ti
Meu coração parece perdido
Perdido em uma esfera de sonhos
Todos talvez esquecido por mim
Como eu queria
Ah! Como eu queria olhar para o céu durante a noite, e ver que existe algo maior dentro de mim.
Algo que pulsa tão forte, tão forte, que parece escola de samba em época de carnaval.
Olho-me no espelho e conheço a imagem que aparece
Reconheço que o que vejo parece comigo
Me desespero, pois sei que a resposta esta logo diante de mim
Diante destes olhos cansados, e essa boca ressacada, dessas mãos trêmulas.
E diante do espelho ainda me pergunto se realmente aquela sou eu.
Quem esta ali diante de mim
Daqui a pouco adormeço, embora pareça que a vida inteira dormi
E me esqueci em um canto vazio desta casa, ou nas gavetas de poeiras, um escuro que parece não ter fim.
Escuro que já conheço
Escuro que não sinto mais medo.
Amanhã é outro dia
Cansei de ser infeliz
De rir quando na verdade quero chorar.
De cantar quando na verdade quero gritar
De parecer o tempo todo encenar.
E na verdade quanto de nós somos assim
Meio preso dentro de si
Tão fácil dizer o que esta errado nos outros
Tão difícil olhar para dentro de nos mesmo
Preciso juntar os pedaços
Pedaços
E essa procura
Procura que parece não ter fim
Procuro por algo que desconheço
É como correr e ter tanta pressa
Para que?
Onde quero chegar?
Eu não sei
Sinto que preciso chorar
Que preciso esquecer
E as vezes nos parecemos tão vazios, como se não houvesse nada lembrar
Preciso dar um tempo
Esse coração que em alguns momentos se faz tão cansado de bater.
E tudo isso parece uma loucura
Pois na verdade ninguém quer morrer
E ao mesmo tempo ao meu redor todos parecem tão cansado de viver
Espero por um amanhã, que não espera por mim
Que é veloz feito meus pensamentos
Mas já é hora de adormecer, hora de cuidar de mim.
Eu só queria soltar esse grito preso.
Eu só queria seguir essa estrada longa, sem fim.
E se no meio desta procura não encontro o que almejo.
No meio desta estrada quero a menos encontrar do que me perdi.
De mim.

3 COMENTÁRIOS:

Barbara Bastos disse...

Estou fascinada com o seu blog.
Parabéns pela delicadeza com que escreve os poemas que posta aqui.
Seu cursor de corações é um show à parte.
Também tenho um blog e desde já te convido a conhecê-lo. Tem um pouco de tudo: opinião, poesia, história, atualidades.
Bjs
Barbara

P.Campos disse...

Olá Michele, tudo bem?
Fiquei muito feliz em ver que está seguindo meu blog! O seu - como não podia ser diferente - é magnífico! Fiquei super empolgado ao ver que lançou seu primeiro livro aos 17, pois eu, agora com 22, estou trabalhando em um, e pretendo lançar quando o tiver finalizado. Seria uma honra passar-lhe uma cópia dele para você ler.

Bjo na alma!

Wander DJ disse...

Menina linda,sensível,talentosa,personalidade forte e admirável.Apesar de distante e ausente,lhe tenho um carinho especial.Ainda vou te conhecer melhor um dia......Beijos pra tí,parabéns e sucesso...

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário


Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Este blog está protegido com os direitos de autor. É proibido fazer cópias do conteúdo deste blog, desde que coloque na mesma postagem um link dizendo que o meu blog foi a fonte.